sexta-feira, 25 de março de 2011

Vai.
Externa o que você sente.
Sai dessa clausura que te corroeu tanto esse tempo.
Mostra pro mundo, vai, pode mostrar.
Grita, berra. Agora dá.
Agora é permitido, assim é que faz sentido.
Agora não tem mais amarras que te prendem a solidão de nós dois.
Agora não tem mais nada contra e nem tempo.
Não tem mais contratempo. Não tem mais contravenção.
Eu prefiro me resguardar à solidão.
Vai... grita agora, pode gritar.
Meus ouvidos não vão ouvir nada disso.
Meus ouvidos estão tapados para a tua voz.
Porque tua voz foi tudo o que eles ouviram durante essa clausura que te amargurou.
Vai... vai e me esquece.
Vai gritar que é o que você precisa agora.
O que você precisa agora é bem diferente do que eu quero.
E o que eu quero agora também não importa.
E o que importa é exatamente o que não quero falar.
Não quero porque não dá.
Não posso porque agora está difícil até de respirar.
Vai... Me deixa um cigarro e vai.

segunda-feira, 21 de março de 2011

Desculpa ter demorado tanto a chegar.
Foi a pressa de te encontrar que não me permitiu encurtar o caminho.
Foi o sonho de viver ao teu lado que me fez correr tanto.
Foi a espera da verdade que me fez perder o encanto.

Desculpa se fiquei tão pouco tempo.
Era hora de partir, eu notei o momento.
Era tempo de calar e viver sozinha
Era o dia de viver tuas promessas e as minhas

Desculpa, mas não sei volto agora.
Não sei entrar pela porta de trás
Não sei viver pra sempre nem nunca mais
Não sei sonhar o meu sonho e o teu

Desculpa, mas agora não vou me desculpar
preciso apenas parar de pensar.
pra ver se aqui dentro consigo guardar.
um sorriso que um dia já me foi tão real.

sexta-feira, 11 de março de 2011

Todo carnaval tem seu fim

Acabou. Todo carnaval tem seu fim e a quarta feira de cinzas pode levar muito mais do que simples foliões de volta a realidade. A quarta pode te deixar perdida. Pode fazer sua sexta não ter sentido. Pode fazer seu sábado ficar vazio. Pode fazer até as 18 horas parecerem um martírio, pode fazer seu almoço ficar sem gosto, pode fazer seu gosto ficar sem encanto.
Felicidade é apenas um ponto de vista. Sonhos também. Desejos então eu nem comento. E eu adoro o ponto de vista que enxergo as coisas.
 Viva intensamente seu carnaval. A folia de seu grande amor. Viva intensamente ao menos um grande amor na sua vida. E cante. Com a voz encantadora, com o tom ideal.
Sem drama, sem lágrimas, sem dor. Aliás, com tanta dor que te faz até ficar dormente. Dormência... essa  é a palavra momento. Dormência deve vir de dormir. E tudo que eu mais queria era dormir... mas o espaço tá grande demais, nem sei ocupá-lo.
Então, vou ficando dormente, com sono e esperando. O próximo carnaval quem sabe possa perdurar... 

Eu sou chata, azeda, exigente. Gosto de regras. Aliás, preciso delas. Isso não significa que eu não as quebre vez ou outra. Me perco com mu...