domingo, 7 de maio de 2017

Eu sou chata, azeda, exigente. Gosto de regras. Aliás, preciso delas. Isso não significa que eu não as quebre vez ou outra. Me perco com muito barulho, na verdade, nem gosto de barulho. Prefiro ficar em casa com amigos do que na rua. Tenho pavor de morrer. Sou grossa, choro por qualquer motivo e não sei discutir. Se você me perguntar o que eu penso, vou dizer sem medo, porque acredito que, se você não quisesse saber a verdade, não me perguntaria. Sei bem a diferença entre falar na cara e ser grosseira. Meu tom de voz não ajuda quando tento ser delicada, por esse motivo, capricho na escolha das palavras. Falo palavrão pra caralho. Quando estou estranha, me afasto de todos. Falo pra cacete, quero abraçar o mundo com as pernas. Sou meio metida. Na verdade, sou Leonina pra cacete, com toques de Canceriana. Quando estou errada, reconheço e peço desculpas. Às vezes demora porque sou meio analítica. Quando estou certa, estou certa e dificilmente vou mudar de opinião. E pode ter certeza de que vou ser extremamente insistente para ser compreendida. Falo da minha vida demais. Sou super cabeça pra umas coisas e extremamente flexível pra outras. Não tenho medo de mudar de opinião se for para o meu crescimento. Quando enfrento uma situação difícil, em qualquer aspecto da vida, olho para todos os lados, penso em todas as hipóteses, vejo o meu lado, o seu e o de todos. Geralmente me calo para não brigar porque  o que eu acredito me basta. Peço desculpas sem medo, mas não sou boa em praticar o perdão quando algo me magoa de verdade. Fico indignada e puta da vida com injustiça. Não sou de briga, mas tem épocas que sou a discórdia em pessoa. Gosto de aprender e, por mais que pareça que eu não estou me importando, eu estou. Me importo com o sentimento dos outros, mas não com o que vão falar. Odeio que falem inverdades sobre mim, o que geralmente acontece. Minha mãe e meu pai são as coisas mais importantes e imprescindíveis da minha vida. Uma é meu colo. O outro é meu super-herói e meu porto seguro de racionalidade. Meu coração já foi um vagabundo, mas hoje sou extremamente feliz e completa com o meu casamento.Tenho fama de mentirosa vinda de pessoas para quem nunca menti. Aliás, dificilmente eu minto. A não ser que eu esteja atrasada pra te encontrar. Aí vou dizer que estou chegando, mas na verdade provavelmente nem tomei banho ainda. Sou péssima com horário. Não sei falar de sentimentos a não ser escrevendo. Odeio que fiquem me pegando, abraçando e me encostando. Não gosto que falem muito perto de mim. Se você me magoar, vou falar com você, mas no meu tempo. Às vezes demora um dia, às vezes um ano e, na maioria das vezes, nunca mais. Não perdoo ninguém duas vezes. Sou muito rancorosa e vou jogar seu erro na sua cara sempre que eu achar necessário. Sou bagunceira ao extremo e não me encontro na minha bagunça. Quando tô em crise, gosto de arrumar meu armário, já que não consigo arrumar minha bagunça interna. Perco tudo, mas geralmente acho. Não me dou bem com as minhas chaves. Quero adotar todos os cachorros que vejo na rua. Sou flamengo, gosto do flumimense, mas não me ligo mais e m futebol. Não sou muito fã de comprar roupas pra mim mesma. Amo aparelhos eletrônicos. Adoro fazer compras no supermercado. Não vivo sem café. Tem épocas que sou noturna, outras sou diurna. Durmo uma hora e me sinto renovada. Gosto de cochilar. Sou muito egoísta pra umas coisas e altruísta demais pra outras. Toda vez que fico extremamente nervosa, eu durmo. Não penso quando estou com raiva. Dificilmente sinto raiva. Não entendo meias verdades, não entendo deslealdade e não aceito mentira. Falsidade não me incomoda porque lido bem com pessoas falsas. Mentira me tira do sério. Mentira com o meu nome me tira do meu prumo, mas mentira com o nome de quem eu amo me faz perder a cabeça de verdade. Sou leal como um cachorro de mendigo. Não gosto que me digam uma coisa que não posso contar pra fulano. Fatalmente irei contar sem querer. Sou desajeitada, não sei cozinhar, apesar de ter aprendido a cortar cebola como no MasterChef. Amo meu trabalho, sou muito feliz com a minha vida. Me sinto bem demais quando faço todo mundo rir. Perco o amigo, mas não perco a piada. O único problema da minha vida é o meu desequilíbrio financeiro. Amo minha família, mas não sou de procurar muito. Ligo pra você às quatro da tarde de uma quarta-feira, mesmo se não falar com você há dez anos. Tenho poucos e bons amigos e faço questão de falar com eles, pelo menos, uma vez por semana. Odeio whatsapp. Começo a conversar por lá, mas em cinco minutos seu telefone vai tocar. Começo um projeto e sempre largo pela metade. Parei de fumar, voltei e to querendo parar de novo. Estou tomando coragem para fazer uma cirurgia bariátrica. Sou do Candomblé, mas tenho medo de espíritos. Fiquei estéril quando estava tentando engravidar. Fiquei sem chão por causa disso. Minha maior frustração foi não ter feito medicina. Tenho mágoas que não consigo superar. Vira e mexe reviro meu passado para tentar analisar minhas mágoas por outro prisma. Sem sucesso até hoje. 

Ah, insônia...

Eu sou chata, azeda, exigente. Gosto de regras. Aliás, preciso delas. Isso não significa que eu não as quebre vez ou outra. Me perco com mu...